Estudos revelam que 25% das pequenas empresas declaram falência após um ataque cibernético

Brasil é o país mais propenso a sofrer vazamento de dados em todo o mundo

Segundo o Instituto Ponemon, 63% das pequenas e médias empresas sofreram algum incidente com vazamento de dados em 2019. A principal causa citada para isso é a perda ou o roubo de equipamentos, seguida por ataques à rede, vulnerabilidades dos dispositivos móveis e e-mails enviados para remetentes errados. Outra constatação alarmante é que, na maioria dos casos (52%), os dados comprometidos envolviam informações dos clientes.

A pesquisa mostra também que o Brasil é o país mais propenso a sofrer violações de segurança: o risco é de 43% em uma empresa brasileira sofrer um ataque, muito acima de países com cultura de segurança cibernética, como Alemanha (com 14%) e Austrália (17%). Segundo Isaac Ferreira, superintendente de Engenharia de Produtos da Tecnobank, esse tipo de ataque tem como alvo pequenas e médias companhias por conta da menor quantidade de investimento em segurança da informação. “Não são as empresas multimilionárias os alvos favoritos dos hackers. Geralmente, as menores têm orçamento mais enxuto para direcionar à segurança cibernética e, por isso, são os alvos favoritos”, explica. Em pesquisa realizada pelo National Cyber Security Alliance, 25% das pequenas empresas declaram falência após um ataque cibernético desse tipo.

O especialista explica que as violações de segurança às pequenas e médias empresas acabam sendo facilitadas por dispositivos inseguros e não monitorados, especialmente notebooks; senhas fracas; compartilhamento de informações de terceiros e comportamento negligente dos colaboradores. Para ajudar pequenas e médias empresas a melhorarem a segurança digital e evitar vazamentos de dados, o gerente de Infraestrutura da Tecnobank, Paulo Cury, sugere algumas ações.

1. Treinamento
O treinamento da equipe é essencial para fazer com que os riscos de ataque sejam menores. “Orientações sobre links de phishing, spams e outras ciberameaças podem ser a diferença entre ter os dados vazados ou não”, sugere Cury.

2. Plano de ações
Outro fator importante é a necessidade de um plano de ações para a empresa, especialmente se tratando de vazamento de dados. Isso faz com que departamentos diferentes, como o marketing, o RH e outros, possam ajudar a diminuir os estragos e até auxiliar os responsáveis pela TI, mitigando custos e diminuindo danos.

3. Ferramentas de segurança
Ferramentas de segurança podem ser a diferença entre ter os dados vazados ou não. Um exemplo é o VerifiKey, da Tecnobank. Segundo Cury, a plataforma é um hub completo de soluções tecnológicas sob medida para prevenir fraudes, reduzir custos e mitigar riscos. “O VerifiKey conta com reconhecimento facial, validação de documentos, OCR e assinatura digital de contratos e documentos oficiais”, complementa Isaac Ferreira, especialista em produtos tecnológicos. Por meio de algoritmos biométricos, o VerifiKey faz o reconhecimento facial e a confirmação de dados, comparando fotos tiradas no instante da assinatura com documentos oficiais, garantindo segurança, automação e agilidade.

4. Investimento em cibersegurança
O grande diferencial em ser uma empresa que sofreu um vazamento de dados ou não pode ser o investimento na segurança digital. O estudo do Instituto Ponemon mostra que, em 2019, as pequenas e médias empresas brasileiras destinaram em média US$ 1,2 milhão para reparar e restaurar a infraestrutura e ativos de TI após ataques, gastando mais US$ 1,9 milhão relacionados às perturbações nas operações regulares. “Ou seja, é mais barato prevenir um ataque que arcar com seus custos”, pondera Cury.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Tudo sobre a economia do país

Na hora de abastecer, qual o combustível mais econômico?

Na hora de abastecer, qual o combustível mais econômico?   Na hora de abastecer um carro flex, a dúvida sobre qual combustível colocar em seu tanque é bastante grande. Existe...

Como evitar uma bolha de inadimplência no mercado?

Como evitar uma bolha de inadimplência no mercado? Por Mário Conforti Seis em cada dez brasileiros deixaram de pagar alguma conta no mês de maio por causa da pandemia. Entre...

Banco Central aperta cerco contra lavagem de dinheiro e ocultação de bens

Banco Central aperta cerco contra lavagem de dinheiro e ocultação de bens O TreeCompliance permite a implementação imediata de qualquer política de conformidade Por Odilon Costa A partir de 1º...

Quase 2 milhões de empresas devem migrar de regime com a nova Reforma Tributária

A proposta que o Governo Federal enviou ao Congresso Nacional – e que tende a ser aprovada em breve – deve fazer com que cerca de 50% das empresas hoje...

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com