Cuidar das finanças de sua empresa deve ser prioridade para evitar falta de recursos num futuro próximo

A situação não está fácil para ninguém, e principalmente, para as empresas que precisam sustentar sua folha de pagamento, rever contratos, analisar contas, etc, etc. Então, primeiro de tudo, é preciso parar, respirar fundo, analisar e tomar as decisões com o pé chão. A palavra de ordem deve ser proteger o caixa. Qualquer atitude errada pode ter um custo muito alto num futuro que talvez não esteja tão distante assim.

Para tentar aliviar o sufoco das pequenas e médias empresas, o governo começa a liberar linha de crédito – estimada em R$ 40 bilhões – através do Programa Emergencial de Suporte a Empregos (PESE). A maior parte do recurso, ou seja, R$ 34 bilhões, virá do Tesouro Nacional via BNDES e o restante será aportado pelos próprios bancos privados. O objetivo do governo é beneficiar empresas com receita bruta anual de R$ 360 mil a R$ 10 milhões e atingir em torno 1,4 milhão de firmas. Vale lembrar que o empréstimo é destinado somente à folha de pagamento dos funcionários, outras despesas não estão inclusas.

Atenção dos empreendedores

É preciso ter cautela e pensar muito antes de tomar qualquer atitude. Antes de solicitar a linha de crédito, refaça todas suas contas fixas (aluguel, folha de pagamento, conta de luz, telefone, etc) e variáveis para verificar a real necessidade deste empréstimo. “Crédito é como uma bola de neve, a cada dia a conta vai aumentando. Se não souber analisar e colocar na ponta do lápis, num futuro muito próximo, pode virar um rombo e uma baita dor de cabeça. O empréstimo pode “tirar” as empresas do sufoco imediato, mas se não tiverem condições de pagar as parcelas de empréstimo, a situação poderá se deteriorar”, ressalta o executivo de finanças da innovativa Executivos Associados, Roberto Lobos.

É aquela velha história…”Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”. É preciso calcular o quanto a empresa precisará vender e/ou produzir a mais para pagar esta dívida.

Hoje, a palavra que está mais em evidência se chama negociar, negociar e negociar. “Renegocie dívidas antes que elas apareçam. Ligue nas prestadoras de serviços, como concessionárias de luz, água, telefone, internet e outras para reduzir seus custos. Corte ao máximo os custos, para preservar o caixa da companhia”, comenta Lobos.

Pos Covid 19 – reinvenção

Além da parte financeira, as empresas precisam pensar em como se reinventar para pós Covid19.

1.- O mercado de e-commerce está conseguindo dar uma sobrevida a alguns segmentos de negócio. Pesquise como seu negócio pode se encaixar neste sistema, observe a concorrência e outros setores da economia. Existem várias plataformas prontas. Pode ser necessário algumas adaptações aos processos de venda da empresa, mas será um novo canal de vendas a ser desenvolvido.

2.- Manter o cliente é o maior desafio. Estenda sua mão para auxiliá-lo e fortaleça a reputação da imagem de sua empresa e de seus produtos. Entenda o momento de cada cliente. Muitas cadeias produtivas estão paralisadas pelo momento atual. Identifique alternativas que possam ser exploradas para manter o seu negócio ativo. Considere ajustar os produtos e serviços se perceber a oportunidade de incremento ou manutenção do negócio.

3.- Rentabilidade – Margem é importante, mas liquidez num momento como este é fundamental. Priorize geração de caixa à rentabilidade.

4.- Manter seu valor de mercado – É nesta hora que o valor do produto e/ou serviço de um negócio é testado. Alguns segmentos terão que esperar, outros acelerar ou se modificar para se adaptar a esta nova realidade. Como exemplo, imagine o setor de entretenimento, de cinemas, hotéis e resorts. Numa situação desta, que equivale a uma situação de guerra, todos os segmentos da economia precisam rever minuciosamente como lidar com o contexto. É importante medir o nível de “oxigênio” que será necessário para chegar até o final, se adaptar na medida do possível para garantir a sobrevivência e seu valor de mercado.

5.- Boa gestão financeira de uma empresa (pequena e média empresa) engloba – A boa gestão financeira numa situação de crise aguda, onde o faturamento desaparece ou diminui drasticamente, envolve prioritariamente a preservação do caixa. Para cada caso, levantar todos os direitos, ou seja, os recebimentos e analisar os riscos de não entrarem no caixa efetivamente. Por outro lado, as obrigações devem ser negociadas de forma a não inviabilizarem a sobrevivência da empresa. Prioridades devem ser analisadas.

Simulações ajudam a identificar qual estratégia pode ser mais eficaz. Rever e questionar todos os itens de despesas e créditos antigos não recebidos. A partir destes cenários, é possível elaborar uma estratégia para priorizar o que vai viabilizar a continuidade do negócio. Simulações de stress de caixa também ajudam a antecipar eventuais problemas que deverão surgir pelo caminho. O que vale aqui é o conhecimento do negócio, sua dinâmica, os pontos que podem paralisá-lo ou fazer perder capacidade de se manter ativo.

6.- Erros mais comuns cometidos pelos empresários – O grande erro, pode-se dizer que com raras exceções, é não preservar o caixa. Existe uma velha máxima que diz: Prejuízo não mata uma empresa, falta de caixa, sim”. Portanto atenção especial como lidar com o capital de giro. Avalie minuciosamente a carteira de recebimentos, considere oferecer descontos para antecipar recebimento (melhor do que correr atrás dos valores atrasados). Questione imobilização de capital sobre estoques diretos e indiretos. Analise as despesas operacionais e não operacionais. Negocie melhores prazos e até parcelamento com os fornecedores. Verifique quais contas a pagar são prioridade para o momento atual. E lembre-se, estamos vivendo uma realidade inusitada, com pouco domínio de como interagir com o mercado nos moldes tradicionais, e sem garantia de que as adaptações e inovações serão bem sucedidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Tudo sobre a economia do país

Na hora de abastecer, qual o combustível mais econômico?

Na hora de abastecer, qual o combustível mais econômico?   Na hora de abastecer um carro flex, a dúvida sobre qual combustível colocar em seu tanque é bastante grande. Existe...

Como evitar uma bolha de inadimplência no mercado?

Como evitar uma bolha de inadimplência no mercado? Por Mário Conforti Seis em cada dez brasileiros deixaram de pagar alguma conta no mês de maio por causa da pandemia. Entre...

Banco Central aperta cerco contra lavagem de dinheiro e ocultação de bens

Banco Central aperta cerco contra lavagem de dinheiro e ocultação de bens O TreeCompliance permite a implementação imediata de qualquer política de conformidade Por Odilon Costa A partir de 1º...

Quase 2 milhões de empresas devem migrar de regime com a nova Reforma Tributária

A proposta que o Governo Federal enviou ao Congresso Nacional – e que tende a ser aprovada em breve – deve fazer com que cerca de 50% das empresas hoje...

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com