Startup curitibana desenvolve plataforma de mobilidade

Mobi7 pretende revolucionar o setor e se tornar uma das maiores empresas da América Latina em três anos

Trânsito e mobilidade são assuntos que nunca saem de pauta! Seja por causa de um acidente que aconteceu na cidade ou pelo preço do combustível nas bombas. Mas as notícias do dia a dia também nos mostram que as noções de mobilidade tem mudado muito nos últimos anos.

Hoje em dia, o sonho de qualquer jovem que completa 18 anos não é mais fazer a habilitação e ganhar um automóvel. Qualquer criança já sabe como é fácil pedir um carro pelo aplicativo de celular, sem ter medo de entrar no veículo com uma pessoa estranha. As novas tecnologias vem transformando não só a forma de se locomover dentro da cidade, como também o pensamento das pessoas que precisam se deslocar no dia a dia. E foi pensando nisso, em continuar revolucionando o setor de mobilidade, que a Mobi7 foi criada.

Idealizada pelo empresário Ricardo Novo, a startup curitibana está localizada no conhecido Vale do Pinhão há 2 anos e caminha para uma nova fase de crescimento empresarial. Natural de Foz do Iguaçu mas curitibano de coração, Novo é engenheiro eletricista, com especializações em Engenharia de Software, Administração e Empreendedorismo e Inovação, e criou a Mobi7 Mobilidade junto com os sócios Pedro Pitt e Gustavo Bergamo, em 2017.

A empresa presta um serviço de software por meio de uma plataforma de rastreamento e gestão de frotas. Ela é voltada para frotas corporativas de veículos leves e pesados, com funcionalidades específicas para economizar gastos com combustível e manutenção e avaliar a conduta dos motoristas. Além disso, ela é uma das poucas no mercado que disponibiliza um sistema de Carsharing, em que colaboradores podem dividir o uso dos veículos por meio de um aplicativo de celular, incentivando a economia colaborativa até mesmo dentro das empresas.

Como você entrou no mercado de mobilidade?

Me formei engenheiro em 2002 e comecei minha carreira como trainee do Itaú Unibanco, depois trabalhei como Engenheiro na Siemens. Em 2008 entrei para o mercado de mobilidade na Velsis, uma empresa de sistemas de gestão de transportes, mas minha principal experiência, sem dúvida, foi na Sascar, a partir de 2011.

Entrei na Sascar para gerir o time de Engenharia e depois fui assumindo outras áreas até me tornar Diretor de Tecnologia. Lá acompanhei um roadshow da empresa para o mercado, no qual ela foi adquirida pelo grupo Michelin. Depois disso, continuei no grupo francês por mais três anos e pude participar de diversas ações avaliando outras empresas do segmento de telemática.

Foi aí que percebi que existia uma grande oportunidade de fazer algo diferente e melhor no setor de rastreamento veicular e gestão de frotas, não só na América Latina, mas também em outras regiões do mundo como América do Norte, Europa e Ásia.

Como você tomou a decisão de empreender na mobilidade?

Em 2017, depois de alguns anos passando mais tempo em viagem do que em casa, resolvi mudar o rumo da carreira para poder ficar mais perto da minha família e da minha filha, que tinha três anos de idade na época. Além do mais, empreender sempre foi uma grande vontade minha, e eu sabia que o mercado tinha espaço para isso, só me faltava experiência!

Junto com atual sócio Pedro Pitt, iniciamos o projeto da Mobi7 com o objetivo de criar uma empresa focada em uma mobilidade mais eficiente e segura por meio de tecnologia, design, experiência do usuário e ciência de dados. Logo após o início, também tivemos a entrada de mais um sócio fundador, Gustavo Bergamo, para liderar toda a área de tecnologia. Na teoria, tínhamos um plano muito forte do que fazer, nenhum dos três tinha vivência de empreender, na prática! Enxugamos todos os custos do nosso dia a dia, alugamos uma sala pequena e, desde então, focamos 100% do nosso tempo para o desenvolvimento da empresa.

Como vocês planejaram o desenvolvimento da Mobi7 ao longo do tempo?

No primeiro ano da Mobi7, focamos em desenvolver o MVP (Produto Mínimo Viável) da nossa plataforma de serviços, baseando muito em nossa experiência profissional e em teorias como de Eric Ries, do livro “Lean Startup”, testando sua aderência no mercado. Já no segundo ano da empresa, depois do sucesso do nosso MVP em nossos primeiros clientes, preparamos os processos necessários para poder escalar nosso negócio, estruturando nosso processo de vendas e Go To Market.

Agora, no terceiro ano da empresa, estamos com mais de 20 colaboradores e mais de 10 vagas em aberto. Desde que fomos para o mercado, estamos crescendo mais do que 20% ao mês em base de assinantes e em receita recorrente.

Hoje temos uma das melhores equipes desse mercado, uma cultura extremamente forte baseada em execução, resultado sustentável e meritocracia, que só contrata os melhores profissionais. Sabemos que a melhor fórmula para ter sucesso é se cercar de gente boa e é o que fazemos todos os dias!

Como vocês veem a Mobi7 hoje?

Consideramos a Mobi7 uma startup de tecnologia bastante diferenciada no mercado, que tem uma ideia boa e que sabe a melhor forma de tracionar seu negócio. Ainda neste ano teremos dois marcos importantes: vamos iniciar nossa primeira operação de serviços fora do Brasil e realizar nossa primeira missão para o Vale do Silício, com o objetivo de buscar as melhores práticas de marketing e vendas.

Além disso, vamos lançar um novo conceito de gestão de frotas com uma rede sem fio nos veículos e uma nova versão da nossa solução de Carsharing, que vai contar com uma gama de funcionalidades inovadoras para o mercado de otimização de frotas. Nossa expectativa é de levar a Mobi7 para a lista das 3 maiores empresas na América Latina nos próximos 3 anos e estamos trabalhando duro pra isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Tudo sobre a economia do país

Na hora de abastecer, qual o combustível mais econômico?

Na hora de abastecer, qual o combustível mais econômico?   Na hora de abastecer um carro flex, a dúvida sobre qual combustível colocar em seu tanque é bastante grande. Existe...

Como evitar uma bolha de inadimplência no mercado?

Como evitar uma bolha de inadimplência no mercado? Por Mário Conforti Seis em cada dez brasileiros deixaram de pagar alguma conta no mês de maio por causa da pandemia. Entre...

Banco Central aperta cerco contra lavagem de dinheiro e ocultação de bens

Banco Central aperta cerco contra lavagem de dinheiro e ocultação de bens O TreeCompliance permite a implementação imediata de qualquer política de conformidade Por Odilon Costa A partir de 1º...

Quase 2 milhões de empresas devem migrar de regime com a nova Reforma Tributária

A proposta que o Governo Federal enviou ao Congresso Nacional – e que tende a ser aprovada em breve – deve fazer com que cerca de 50% das empresas hoje...

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com