Médico cria programa para capacitar empreendedores acima dos 50

Empreendedorismo Sênior é ministrado em parceria com a Oficina UniversIDADE, da UNICAMP, e também oferecido por outros meios

“Você só consegue ter uma longevidade saudável se for produtiva”. É com base nessa máxima, de viver mais e com o cérebro ativo, que o médico, neurocientista e treinador comportamental Dr. Jô Furlan lançou o programa Empreendedorismo Sênior, oferecido em parceria com a Oficina UniversIDADE, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). O projeto foi desenvolvido desde 2016 pelo especialista em comportamento humano após observar que mais de 50% das empresas abertas no estado de São Paulo pertenciam a pessoas com mais de 50 anos.

Dados mais recentes, da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) e divulgados pelo Sebrae, mostram que, em 2016, a faixa etária de 55 a 64 anos representava 29,6% do total de empreendedores no Brasil. Um ano depois, eles já eram 32,3%. Além disso, segundo levantamento da Fiesp, cerca de 40% das startups brasileiras foram criadas por empresários com 45 anos ou mais.

Embora Furlan esteja exatamente com 50 anos, o programa não se destina a pessoas como ele, já que empreende há, pelo menos, 30 anos. “Formatamos o Empreendedorismo Sênior para orientar aqueles os quais chamo de VES (Vividos, Experientes Sábios). Queremos falar com quem já trabalhou como empregado durante boa parte da vida e está disponível no mercado, aposentado ou não, e que deseja aplicar seu conhecimento em algo próprio. Para eles, vamos potencializar suas capacidades conquistadas ao longo do tempo e buscar eliminar características que podem atrapalhar no processo de empreender”, conta.

Superar medos e combater eventuais resistências ao aprendizado, especialmente quando relacionado a novas tecnologias, são os principais desafios de quem empreende após os 50 anos.

Para legitimar, mais que um sócio, um case

Para compor a equipe e validar o que busca apresentar no programa Empreendedorismo Sênior, Dr. Jô Furlan agregou o amigo e empresário Paulo Sérgio Souza, de 58 anos. “Eu sou o case de pessoa VES, que se aposentou com 53 anos e, hoje, cinco anos depois, desenvolve outros negócios. Com isso, tenho um propósito de vida, tenho tempo livre para viajar e, de quebra, consegui aumentar o meu patrimônio. No programa, em seminários, workshops e em mentorias individualizadas, conto um pouco da minha experiência e de como faço para ter sucesso nos meus empreendimentos”, conta o ex-executivo de mais de 30 anos no Setor Elétrico.

De acordo com Souza, a ideia não é criar milionários – eventualmente, isso pode acontecer –, mas fazer com que cinquentões, sessentões, setentões ou até mais experientes possam criar negócios que estejam de acordo com seus valores e propósito de vida. “Queremos ensinar a empreender sem colocar em risco o patrimônio adquirido ao longo da vida. Vamos ajudar a sair da inércia, reconhecendo que a tecnologia veio para mudar o mundo e querendo fazer parte deste novo mundo. Não é questão de dinheiro, mas de cérebro”, diz.

Vantagens do empreendedor sênior

Experiência profissional

Maior foco

Menos vaidade nas relações interpessoais

Maior rede de contatos

Patrimônio adquirido

Despesas mais baixas

Maior tempo livre para criar

Menos dúvidas sobre atividades que trazem bem-estar

 

Desafios do empreendedor sênior

Adaptação às novas tecnologias

Resistência a adquirir novos conhecimentos

Vícios obtidos na vida como empregado

Medo de perder patrimônio

Certezas e convicções

Cultura de trabalho antiga

Compreensão de que a dedicação influencia diretamente no resultado da empresa

5 thoughts on “Médico cria programa para capacitar empreendedores acima dos 50

  1. Meu caríssimo amigo, seus argumentos são interessantes e pelo menos mostram uma luz de esperança de que preconceitos possam ser combatidos e paradigmas quebrados pois de uma maneira geral, e digo isto, por vigência própria, os mais vividos muitas vezes são “obrigados” a empreender, por serem preteridos por profissionsis mais jovens, não tão “sábios”. É a forma de tentarem se manter em um mercado e um mundo cada vez mais feroz e competitivo. Conclui -se que mesmo “sabios”, como vc bem apontou, trazem experiécia mas também lacunas, que muito sabiamente identificou e está na luta para complementar. Muito sucesso na caminhada. Forte abraço

    1. Marta,
      Obrigado por nos acompanhar e infelizmente o programa do dr. Jô Furlan só é oferecido na UNICAMP. Entraremos em contato com a assessoria dele para saber mais sobre o oferecimento do curso online e em outros Estados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Tudo sobre a economia do país

Futuro promissor para o setor farmacêutico

Futuro promissor para o setor farmacêutico Empurrado pela evolução tecnológica e legislação mais célere, setor tende a crescer Segundo dados do Empresômetro, empresa especialista em inteligência de mercado, o setor...

Com aparato tecnológico, Brasil vê sonegação fiscal reduzir nos últimos anos

Com aparato tecnológico, Brasil vê sonegação fiscal reduzir nos últimos anos Previsão é que em pouco tempo índice de sonegação fiscal esteja nos patamares dos países mais desenvolvidos Tido como...

Movimentação do 13º salário anima setor de cobrança

População economicamente ativa utiliza benefício para consumir e pagar contas Diversos participantes da economia estão em expectativa quanto aos efeitos do 13º salário. Ao receber o pagamento, muita gente aproveita...

Bons resultados no terceiro trimestre

A Evonik aumentou o EBITDA ajustado do terceiro trimestre de 2018 para 692 milhões de euros (ano anterior: 640 milhões de euros). Os dois segmentos de crescimento - Nutrition &...

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com