Studio shot of açai berry fruit on the palm leaves

FATURAMENTO DA COMBU CRESCEU 74% EM 2017

 A busca por produtos típicos da Amazônia

faz empresa crescer mesmo com o mercado desacelerado

O mercado de produtos típicos da Amazônia tem crescido em São Paulo. É o que mostra os números da Combu, empresa que distribui alimentos do norte do país. Criada em 2015, a distribuidora fornece ingredientes típicos do Pará e do Amazonas para restaurantes, hotéis, lojas, mercados, bares entre outros atacadistas e muitos clientes de varejo para São Paulo e vários outros estados do país.

Nos últimos três anos, a Combu, que começou do zero um trabalho de divulgação na cidade de São Paulo, viu seu faturamento crescer em mais de 300%. Só em 2017 o crescimento foi de 74%, faturando mais de R$ 500 mil.

Este crescimento se deve muito a conquista de novos e maiores clientes, como o Grupo Pão de Açúcar, onde 48 lojas já vendem farinha de mandioca, de tapioca e molho de pimenta de cheiro com tucupi. Já no Carrefour, são apenas 6 lojas na cidade de  São Paulo (segmento A+) que a distribuidora atende com sorvetes de frutas típicas do Pará. E ainda há distribuição no Santa Luzia, nos jardins, também com sorvetes típicos, além de açaí e tucupi.

Com os novos clientes, a mudança de ponto foi inevitável. Hoje a distribuidora está no bairro da Bela Vista, em um imóvel com 120m2..  Então o estoque que inicialmente armazenava 1,5 toneladas de alimentos, entre secos e congelados, hoje tem capacidade de armazenamento para três toneladas de produtos congelados e mais cinco para produtos secos.

“Com tanto espaço, foi possível montar um frente de loja e assim atender uma antiga demanda dos clientes: Oferecer produtos artesanais, como cerâmica marajoara, brinquedos de miriti, fotos, roupas e acessórios”, explica Marina Cabral, proprietária da empresa.

Entre os produtos mais vendidos estão o tucupi, caldo extraído da mandioca brava (R$ 27) e o açaí, fruta típica da região paraense (R$ 30). Além das farinhas de tapioca e mandioca, jambu, pimentas, polpas de frutas (cupuaçu, graviola, bacuri, taperebá e muruci), doces, chocolates típicos e o feijão da região do tapajós. No total, a distribuidora oferece uma linha com mais de 60 itens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Tudo sobre a economia do país

Futuro promissor para o setor farmacêutico

Futuro promissor para o setor farmacêutico Empurrado pela evolução tecnológica e legislação mais célere, setor tende a crescer Segundo dados do Empresômetro, empresa especialista em inteligência de mercado, o setor...

Com aparato tecnológico, Brasil vê sonegação fiscal reduzir nos últimos anos

Com aparato tecnológico, Brasil vê sonegação fiscal reduzir nos últimos anos Previsão é que em pouco tempo índice de sonegação fiscal esteja nos patamares dos países mais desenvolvidos Tido como...

Movimentação do 13º salário anima setor de cobrança

População economicamente ativa utiliza benefício para consumir e pagar contas Diversos participantes da economia estão em expectativa quanto aos efeitos do 13º salário. Ao receber o pagamento, muita gente aproveita...

Bons resultados no terceiro trimestre

A Evonik aumentou o EBITDA ajustado do terceiro trimestre de 2018 para 692 milhões de euros (ano anterior: 640 milhões de euros). Os dois segmentos de crescimento - Nutrition &...

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com